China confirma vontade de reaproximação com Vaticano

PEQUIM, 3 FEV (ANSA) - "A China é sincera na vontade de melhorar as relações com o Vaticano", informou o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores em Pequim, Lu Kang, nesta quarta-feira, dia 3.   

Declaração foi feita após a histórica entrevista do papa Francisco ao jornal asiático "Asia Times", quando comentou que "o mundo não pode temer o crescimento chinês" e que admira muito a história, cultura e a sabedoria do país.   

Ainda de acordo com Lu Kang, para fomentar a aproximação é preciso continuar com diálogos construtivos e "encontrar um meio termo" neste processo.   

"Esperamos que o Vaticano adote uma aproximação flexível e prática, criando condições" para a retomada de relações bilaterais.   

Questionado sobre um possível convite ao Papa para uma visita à China, ele respondeu que "não tem informações sobre o assunto".   

O porta-voz do Vaticano, o padre Federico Lombardi, confirmou que estão sendo realizados encontros entre delegações da Santa Sé e de Pequim. "Estão sendo realizados contatos e houve avanço, como era previsto", disse. Diplomacia - A entrevista aconteceu em meio à reaproximação entre a Igreja Católica e a China, após a nomeação de novos bispos pela primeira vez em cerca de três anos.   

O Vaticano tenta se reaproximar e normalizar as relações diplomáticas com a China, interrompidas em 1951 por causa do reconhecimento da Santa Sé à independência de Taiwan. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos