Juiz se nega a arquivar processo de Bill Cosby por abuso

WASHINGTON, 4 FEV (ANSA) - A Justiça da Pensilvânia rechaçou os pedidos dos advogados do comediante norte-americano Bill Cosby, 78 anos, de arquivar acusações de abuso sexual, dando continuidade ao processo judicial. Os advogados de Cosby citaram um acordo alcançado dez anos antes com o magistrado anterior. Ele teria prometido ao ator que nunca seria processado.   


O novo juiz, Steven O'Neill, considerou que "não existe base para garantir o arquivamento requerido".   


O caso diz respeito a denúncia de Andrea Constand, ex-funcionária da Universidade de Temple, que disse ter sido estuprada por ele em sua casa na Pensilvânia, 12 anos atrás. Constand, que é lésbica, disse ter tentado se desvencilhar das investidas do comediante, mas ter sido drogada e estuprada.   


Cosby nega, dizendo que a relação foi consensual. A denúncia é mais uma de série de acusações que destruiu sua reputação de bom moço em Hollywood. Segundo as vítimas, o modus operandi de Cosby era muito parecido. Dizendo que daria aulas de interpretação, ele as drogava e abusava sexualmente. Depois, tentava manter as mulheres em silêncio sobre o ocorrido. Cosby ficou conhecido por sua participação em stand-up comedies e na série "The Cosby Show", da qual foi protagonista. Ele chegou a ser o ator mais bem pago de Hollywood.   


Ele foi detido em dezembro e acusado de drogar e violentar Constand. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos