Renzi cobra restituição do corpo de italiano morto no Egito

ROMA, 04 FEV (ANSA) - O primeiro-ministro da Itália, Matteo Renzi, conversou por telefone nesta quinta-feira (4) com o presidente do Egito, Abdel Fatah al Sisi, a quem exigiu que o corpo de Giulio Regeni, italiano de 28 anos encontrado morto no Cairo, seja "rapidamente" restituído à sua família.   

Além disso, o premier cobrou "pleno acesso" para os representantes de Roma acompanharem de perto a investigação sobre esse "crime horrível". Já o mandatário egípcio disse ter ordenado ao Ministério do Interior e à Procuradoria-Geral que realizassem "todos os esforços" para solucionar o caso.   

Por outro lado, o presidente da Itália, Sergio Mattarella, desejou que seja esclarecida a "preocupante dinâmica dos acontecimentos" e que os responsáveis pelo assassinato sejam levados à justiça. O corpo de Regeni foi encontrado na região de Hazem Hassam, no Cairo, com sinais de tortura, marcas de ferida e totalmente nu na parte de baixo.   

Natural de Fiumicello, cidadezinha situada na região setentrional de Friuli-Veneza Giulia, o italiano estava no Egito desde setembro passado para desenvolver uma tese de doutorado sobre a economia local. Ele havia sido visto pela última vez em El Dokki, bairro central de El Giza, município da região metropolitana do Cairo.   

Nesta sexta-feira (5), uma equipe de sete homens da polícia italiana e da Interpol embarcará para a capital do Egito para acompanhar as investigações. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos