Congresso venezuelano aprova projeto que liberta opositores

CARACAS, 4 FEV (ANSA) - O Congresso venezuelano, que tem maioria opositora, aprovou em primeira instância, após um tenso debate, a Lei da Anistia, que visa a libertar presos políticos como Leopoldo López. "Depois de 17 anos de ódio e divisão, devemos nos unir para sair desta crise. O clamor que temos é de união, paz e reconciliação nacional, por isso é tão necessária a aprovação da anistia", explicou a deputada Delsa Solórzano, que apresentou o projeto.   

A bancada aliada ao governo de Nicolás Maduro, chamado "Bloco da Pátria", boicotou a votação após argumentar que a norma vai contra a Constituição e gera "impunidade" sobre o que consideram "crimes de lesa humanidade".   

Projeto agora precisa passar pela Comissão Permanente de Política Interna antes de ser aprovado.   

Familiares de opositores presos, entre eles a esposa de López, Lilian Tintori, estiveram presentes no plenário.   

Histórico - López foi condenado a 13 anos e nove meses de prisão por associação criminosa, incêndio, danos à propriedade pública e instigação da violência durante os protestos contra o governo de Maduro realizados em fevereiro de 2014. As manifestações, registradas até maio daquele ano, deixaram 43 mortos e milhares de feridos.   

López cumpre pena na cadeia militar de Ramo Verde, ao norte de Caracas. O local é o mesmo onde esteve preso "preventivamente" desde o começo de 2014, quando se entregou às autoridades alegando ser inocente.   

Organizações de direitos humanos pedem sua libertação imediata, denunciando que ele passou por um processo judicial injusto.   

(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos