Pela primeira vez, Barack Obama fará visita ao Vietnã

WASHINGTON E RANCHO MIRAGE, 17 FEV (ANSA) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, fará uma viagem ao Vietnã em maio, anunciou a Casa Branca nesta terça-feira (16) ao fim da reunião entre o país e os líderes da Associação das Nações do Sudeste Asiático (Asean).   

Essa será a terceira vez na história que um presidente norte-americano visitará a nação desde a Guerra do Vietnã e marca os 20 anos da retomada das relações diplomáticas. Bill Clinton foi ao país em 2000 e George W. Bush fez a visita em 2006. Segundo analistas, a ida de Obama ao Vietnã é uma tentativa de aproximar os países e diminuir a influência - política, econômica e militar - da China na região.   

O Vietnã é parte tanto da Asean como do novo Acordo de Associação Transpacífico (TPP), considerado o maior pacto comercial da história, e tem uma posição estratégica para os norte-americanos. Além dos vietnamitas, Indonésia, Malásia, Filipinas, Cingapura, Tailândia, Brunei, Myanmar, Camboja e Laos fazem parte da Asean.   

Apesar dos esforços de Obama, a situação com os 10 países parece ainda não impressionar. Ao fim do encontro com os líderes, que durou dois dias em Rancho Mirage, os Estados Unidos não conseguiram incluir menções específicas contra a atividade militar de Pequim no Mar do Sul da China - uma área em constante disputa entre nações locais.   

No documento, os líderes apenas colocaram que estavam reafirmando "o forte comprometimento com a ordem regional onde as regras e normas internacionais e os direitos das nações grandes e pequenas são garantidos".   

"Incluímos ainda o respeito mútuo à soberania, a integridade territorial, a igualdade e a política independente de todas as nações e dividimos um compromisso com a resolução pacífica de disputas", escreveram os políticos sem citar o nome de envolvidos.   

Em coletiva, o presidente norte-americano destacou que a questão do Mar do Sul foi debatida e chegou-se à conclusão de que as "tensões devem ser diminuídas" para evitar mais problemas, especialmente no que tange "à construção militar em áreas disputadas".   

"Quando a Asean fala com uma voz clara e única, isso pode ajudar a termos avanços na segurança, oportunidades e dignidade humana", ressaltou o mandatário.   

Apesar das "boas intenções" do documento, imagens de satélites reproduzidas pela imprensa norte-americana mostram que os chineses teriam instalado um potente sistema de lançadores de mísseis na ilha de Woody, que está em disputa com Taiwan e Vietnã.   

Recentes incidentes, como um navio da Marinha dos EUA que ultrapassou as fronteiras marítimas no local, fizeram com que Pequim aumentou o tom contra os vizinhos e os norte-americanos.   

Desde 2013, as forças militares chinesas vem reforçando sua atuação na área, em que a China acredita ter toda a soberania.   

- Importância do encontro para Obama: Em seu último ano à frente da Presidência dos Estados Unidos, Barack Obama quer reforçar a importância de seu país para os membros da Asean - frente a força econômica e política da China.   

Além de mostrar interesse por temas relacionados à região, onde a administração Obama quadruplicou investimentos nos últimos anos, o encontro anual com os 10 chefes de governo e Estado é uma rara oportunidade para aprofundar relações.   

A questão é tão importante para o líder norte-americano que já há um plano de investimentos até 2020 na região. Por outro lado, os membros da Asean veem a oportunidade de se aproximar e apresentar os problemas da complexa região.   

De acordo com analistas, esse grupo de nações é um dos principais responsáveis por manter a paz no Sudeste Asiático - mesmo com as disputas políticas e a ameaça cada vez mais frequente do terrorismo islâmico. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos