Cameron espera 'bom acordo' com UE para evitar 'Brexit'

BRUXELAS, 18 FEV (ANSA) - O primeiro-ministro britânico, David Cameron, afirmou nesta quinta-feira (18) que espera fechar um "bom acordo" para evitar que o Reino Unido saia da União Europeia.   

"Lutarei pela Grã-Bretanha e, se poderei fazer um bom acordo, eu o farei. Mas, não aceitarei um acordo que não responda àquilo que nós temos necessidades. Temos um trabalho importante a fazer hoje e amanhã, que será duro. É mais importante termos uma coisa certa do que fazer qualquer coisa apressada", afirmou o premier.   

Já o líder da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, disse estar "muito confiante" de que haverá uma acordo com os britânicos, "que terão um papel colaborativo e construtivo no interior da UE". Mais direto, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, falou que "todos estamos no centro de uma difícil e sensível negociação, mas uma coisa eu tenho certeza: é uma reunião ou vai ou racha".   

Tanto Tusk como Cameron concordaram ao dizer que "foram feitos avanços" nas negociações do rascunho do pacote de documentos que constituem um acordo "legalmente vinculante". Contudo, eles entrariam em vigor apenas após o referendo que o premier pretende colocar em prática após as reuniões e que deve ocorrer até o fim de 2017.   

A maratona de negociações para evitar o "Brexit" começará com os países "exportadores de mão de obra", liderados pela Polônia, que querem limitar ao máximo as restrições de acesso ao país. A França, apoiada por Luxemburgo, Alemanha e Itália, é contrária a uma "fragmentação do mercado financeiro único europeu", que seria um dos principais pedidos britânicos.   

Além da mudança na questão econômica, o governo Cameron quer, segundo a mídia britânica, permitir que o Reino Unido não se sinta obrigado a manter ambições assumidas na fundação da União Europeia - e ter mais poder para bloquear a legislação europeia -, fazer restrições a trabalhadores de outros países europeus, retirando alguns benefícios e o reconhecimento de que o euro não é a única moeda do bloco.   

No início de fevereiro, Tusk apresentou um primeiro plano para evitar que o Reino Unido deixe a UE em uma reunião a portas fechadas com Cameron. Para dar mais autonomia a Londres, Tusk propôs que os países integrantes do bloco possam "interromper a análise de uma proposta legislativa europeia" se um determinado número de parlamentares nacionais assim quiser. Além disso, os britânicos não serão obrigados a aumentar sua integração política com Bruxelas. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos