Documentos dizem que Walesa foi espião comunista

ROMA, 18 FEV (ANSA) - O ex-presidente polonês Lech Walesa atuou como informante dos serviços comunistas entre os anos de 1970 e 1976, de acordo com uma denúncia veiculada nesta quinta-feira (18) por um instituto de história da Polônia. Walesa era símbolo da luta contra o regime comunista na Polônia e foi fundador do sindicato Solidariedade. O ex-mandatário já tinha admitido que assinara um documento para ser informante comunista, mas garantiu que nunca atuou de fato na função. Em 2000, ele foi absolvido por um tribunal especial que analisou o caso. O diretor do Instituto Nacional de Memória, Lukasz Kaminski, disse que documentos apreendidos nesta semana na casa do último ministro do Interior do governo comunista, o general Czeslaw Kiszczak, já morto, comprovaram a relação de Walesa como informante. As folhas contêm a assinatura do nome de Walesa, com seu codinome, Bolek.   

"As 279 páginas de documentos parecem ser autênticas e serão tornadas públicas em um momento oportuno", disse Kaminski, ressaltando que especialistas ainda querem analisar mais detalhadamente as provas. Ativista de direitos humanos, Walesa foi presidente da Polônia entre 1990 e 1995, um dos primeiros líderes após a derrocada do comunismo. Em 1983, foi agraciado com o Prêmio Nobel da Paz.   

(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos