Renzi estuda pedir voto de confiança para aprovar união gay

ROMA, 21 FEV (ANSA) - O premier da Itália, Matteo Renzi, está estudando apelar para um arriscado voto de confiança no Senado a fim de aprovar o projeto de lei que legaliza a união civil entre casais do mesmo sexo no país.   

Em encontro de sua legenda, o Partido Democrático (PD), neste domingo, dia 21, Renzi disse estar "pronto" para usar a tática política se for preciso.   

O projeto está enfrentando resistência até mesmo dentro do próprio PD, por isso Renzi pode submetê-lo ao voto de confiança do Senado. Quando o Executivo toma tal medida, significa que ele está, de certa forma, condicionando sua própria permanência no poder à aprovação da confiança a determinada lei. Esse instrumento é usado para evitar obstrucionismos no Parlamento, bloqueando todas as emendas e fazendo com que o texto seja votado da forma como foi apresentado. Os líderes do PD irão decidir sua estratégia nesta semana, mas perder a confiança no Senado forçaria Renzi a deixar o governo.   

A Itália é o único dos maiores países europeus que ainda não possui uma legislação para os casamentos gays. Um dos termos mais polêmicos do projeto em trâmite do projeto é a adoção. Segundo o texto atual, o casal homossexual poderia adotar uma criança gerada por um dos pais, mas não filhos de terceiros - como acontece em uniões heterossexuais. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos