Suíça apresenta plano para limitar imigrantes da UE que podem viver e trabalhar no país

BRUXELAS, 04 MAR (ANSA) - O governo da Suíça apresentou nesta sexta-feira (4) um plano para limitar a entrada de cidadãos da União Europeia a partir do dia 9 de fevereiro de 2017 e dar sequência ao referendo de dois anos atrás, quando a população local votou contra a imigração em massa.   

Em particular, Berna propõe fixar a cada ano uma barreira à quantidade de pessoas originárias dos países da UE que podem viver e trabalhar na nação alpina caso as entradas ultrapassem um determinado número.   

"A UE não quer que a solução seja essa cláusula unilateral, mas é preciso entender que somos obrigados", declarou a ministra do Interior Simonetta Sommaruga. As modificações também preveem que estrangeiros à procura de trabalho não tenham acesso a benefícios sociais e que desempregados percam o direito de permanecer no país.   

Em fevereiro de 2014, 50,3% dos suíços aprovaram em um referendo a criação de cotas para a entrada de trabalhadores provenientes da União Europeia, desencadeando uma crise diplomática com o bloco. Quando uma mudança na legislação é chancelada por uma consulta popular, o governo é obrigado a realizá-la dentro de um prazo determinado, neste caso, fevereiro de 2017. (ANSA)

Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos