Oposição denuncia prisão de líder do Damas de Branco em Cuba

HAVANA, 9 MAR (ANSA) - A líder do grupo opositor cubano Damas de Branco, Berta Soler, foi detida junto a outras três pessoas, denunciaram opositores nesta quarta-feira, dia 9.   

Apesar de as autoridades de Havana não terem confirmado a prisão, pediram que Washington deixe de "fabricar uma oposição política interna" no país.   

Poucos dias antes da histórica visita do presidente Barack Obama a Cuba, o jornal oficial "Granma" pediu, em editorial, que "sejam eliminados os programas intervencionistas, que têm como objetivo provocar a desestabilização e mudanças na ordem política, econômica e social" do país.   

O mandatário pretende se encontrar com dissidentes durante a viagem à ilha.   

Um dos termos para a normalização das relações bilaterais era o respeito aos direitos humanos em Cuba, uma das questões mais espinhosas das negociações pela normalização.   

Histórico - Fundada em 2003, a associação reúne filhas, esposas e parentes de 75 ativistas que foram detidos no mesmo ano, acusados de atuar como "mercenários em serviço dos Estados Unidos". Mesmo que os homens tenham sido libertados entre 2010 e 2011, a organização continua a pedir mais liberdade na ilha caribenha. Em 2005 elas receberam o Prêmio Sakharov do Parlamento Europeu, uma homenagem destinada a pessoas ou organizações que dedicaram as suas vidas ou ações à defesa dos direitos humanos e da liberdade. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos