Com dois papas ainda vivos, Vaticano constrói novo túmulo em Roma

Cidade do Vaticano (Vaticano)

  • L'Osservatore Romano/EFE

    30.jul.2015 - Bento 16 (à esquerda) é saudado pelo papa Francisco antes de sua partida para Castelgandolfo, residência de verão dos papas, na Itália

    30.jul.2015 - Bento 16 (à esquerda) é saudado pelo papa Francisco antes de sua partida para Castelgandolfo, residência de verão dos papas, na Itália

A Santa Sé já construiu a tumba que abrigará o próximo líder da Igreja Católica a morrer, no subsolo das Grutas Vaticanas, em Roma (Itália), onde estão enterrados outros papas.   

A tumba, que ainda não tem inscrição, foi fabricada em mármore branco e possui baixos-relevos que reproduzem colunas decoradas.   

A notícia foi dada por sites especializados na cobertura de assuntos católicos e confirmada posteriormente pelo porta-voz da Santa Sé, padre Federico Lombardi. "Não há nenhum mistério quanto a isso. É preciso prever que sejam instalados túmulos nas Grutas Vaticanas para o futuro. Havia uma capela livre e, por isto, foi lógico construir o túmulo lá", explicou Lombardi.   

Entre os líderes católicos sepultados nas Grutas Vaticanas, que ficam embaixo da Basílica de São Pedro, estão Pio 11, Pio 12I, Paulo 6º e João Paulo 1º. Como os pontificados costumam ser vitalícios na Igreja Católica, os papas encerram sua liderança apenas quando morrem.

A exceção foi o papa Bento 16, que renunciou ao seu cargo em 28 de fevereiro de 2013. O novo túmulo poderá ser destinado a Bento 16 ou ao papa Francisco, seu sucessor, eleito há três anos, a menos que eles peçam em vida que sejam enterrados em outro lugar.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos