'Grampos ilegais não favorecem a democracia', diz Dilma

SÃO PAULO, 17 MAR (ANSA) - Grampeada em uma conversa telefônica com Luiz Inácio Lula da Silva, a presidente Dilma Rousseff fez uma dura crítica nesta quinta-feira (17) ao vazamentos dos áudios sob permissão do juiz Sergio Moro, responsável pela Operação Lava Jato. "Não há Justiça quando leis são desrespeitadas. Não há justiça para o cidadão quando as garantias constitucionais da própria Presidência da República são violadas", disse Dilma, em seu discurso na cerimônia de posse de Lula como ministro da Casa Civil, em Brasília. "Investigações baseadas em grampos ilegais não favorecem a democracia do Brasil. Quando isso acontece, fica nítida a tentativa de ultrapassar o Estado democrático de Direito", afirmou a petista. "Estamos diante de um fato grave. Uma agressão não à minha pessoa, mas à cidadania e à democracia".   


Ela também atacou a publicação de delações premiadas, como a do senador Delcídio do Amaral, na qual ele cita Dilma, Lula e o tucano Aécio Neves em possíveis casos de corrupção. "Delações são tornadas públicas de forma seletiva para execração de alguns investigados", comentou Dilma. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos