ONG denuncia 326 mortes de civis durante trégua na Síria

BEIRUTE, 23 MAR (ANSA) - Ao menos 326 civis morreram durante a trégua na Síria, que entrou em vigor no último dia 26 de fevereiro, informou nesta quarta-feira (23) o Observatório Nacional para os Direitos Humanos (Ondus).   

Dos 326 mortos totais do país, 73 eram crianças ou menores de idade. Todas as pessoas morreram no meio de combates.   

Nas áreas onde vigora a trégua entre rebeldes e militares do governo, o número de mortos é de 148 (sendo 34 crianças) desde o início do cessar-fogo.   

Já nas regiões onde há atuação de grupos como Estado Islâmico (EI, ex-Isis) e Frente al Nusra, que não estão participando do cessar-fogo, morreram 178 pessoas, sendo 39 menores de idade. Levando em conta todas as mortes registradas na Síria desde o dia 26 de fevereiro, incluindo combatentes, rebeldes, jihadistas e civis, o número vai para 530 em áreas onde vigora a trégua e 1.279 onde ainda há confrontos entre grupos terroristas. A Ondus disse também que contabilizou a morte de 10 civis, entre eles sete crianças, por falta de assistência médica. Desde o primeiro dia de trégua, há denúncias de violações do cessar-fogo e de hostilidades na Síria. O pacto foi negociado entre os Estados Unidos e a Rússia, países que conduzem ações militares em território sírio. Eles mediaram um acordo para que rebeldes e o regime do ditador Bashar al-Assad parassem de se atacar militarmente. Outros grupos terroristas que atuam no país ficaram de fora da trégua. Apesar de frágil, é a primeira vez em cinco anos que muitas cidades da Síria vivem sem bombardeios e em clima de maior tranquilidade. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos