Vaticano confirma abertura de arquivos de ditadura argentina

CIDADE DO VATICANO, 23 MAR (ANSA) - O Vaticano confirmou nesta quarta-feira, dia 23, a abertura dos arquivos sobre a última ditadura militar na Argentina (1976-1983), um dia antes de o golpe completar 40 anos.   

Para cumprir "a intenção manifestada pelo papa Francisco", está sendo realizado um trabalho de catalogação que deve ser completado "nos próximos meses", explicou o porta-voz da Santa Sé, Federico Lombardi.   

Grupos de direitos humanos e familiares de vítimas denunciam a colaboração de bispos e outros sacerdotes com os militares durante a ditadura.   

O Papa, que também é argentino, chegou a ser acusado de ter ajudado a ditadura quando foi eleito, em março de 2013, mas as denúncias logo foram desmentidas. As associações das Mães e das Avós da Praça de Maio já pediram ao religioso que os arquivos fossem abertos ao público.   

A última ditadura argentina foi uma das mais violentadas registradas entre os anos 1960 e 1980 no Cone Sul. Calcula-se que 30 mil pessoas tenham sido mortas neste período. Também serão desclassificados arquivos relativos à ditadura uruguaia (1973-1985) no âmbito da iniciativa, informou a agência de notícias argentina "Télam". (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos