Principal líder da oposição na Itália sai em defesa de Lula

ROMA, 05 ABR (ANSA) - O humorista Beppe Grillo, líder do principal partido de oposição da Itália, o Movimento 5 Estrelas (M5S), saiu nesta terça-feira (5) em defesa do ex-presidente do Brasil Luiz Inácio Lula da Silva e disse que são as "indústrias" que decidem o futuro dos governos.   

A declaração foi dada em uma entrevista ao jornal "Corriere della Sera", de maneira espontânea, sem que ele fosse perguntado sobre a crise política no gigante sul-americano. O comediante e político criticava o governo de seu país, chefiado pelo primeiro-ministro de centro-esquerda Matteo Renzi, a quem acusa de ser subordinado à Confederação Geral da Indústria Italiana (Confindustria) e aos bancos, e usou o Brasil para explicar seu ponto de vista.   

"A indústria mundial não gosta que um sindicalista seja o presidente do Brasil. Ela não gostará nunca. Ela não gosta que na Bolívia um camponês seja presidente da República. Não aceita.   

E então, com informações distorcidas de propósito, levam as pessoas às ruas para arruinar governos eleitos pelos cidadãos", afirmou Grillo.   

Segundo o líder do M5S, tanto na Itália como no resto do mundo são as indústrias que decidem a sorte dos governos. "O desenvolvimento da economia e da política mundial é baseado nas grandes multinacionais que controlam os meios de comunicação, e os meios de comunicação levam as pessoas às ruas para derrubar governos eleitos democraticamente pelos povos", acrescentou.   

Para completar, ele fez um alerta aos cidadãos: "Quando você é alvo de críticas de todos os meios de comunicação, você está com a razão. Essa é a situação". O Movimento 5 Estrelas nasceu em 2009 e logo chacoalhou a política italiana, até então polarizada entre a centro-esquerda herdeira do Partido Comunista e a centro-direita liderada por Silvio Berlusconi. Nas eleições parlamentares de 2013, a legenda de Grillo, um dos humoristas mais famosos do país, se tornou a segunda maior força da Câmara dos Deputados e a terceira do Senado.   

Atualmente, o partido faz uma oposição bastante dura ao governo Renzi, mas a dificuldade em se aliar a outras legendas devido ao seu caráter antipolíticos e eurocético faz com que ela se mantenha longe do poder. Atualmente, a maior cidade sob seu comando é Parma, com cerca de 190 mil habitantes.   

No entanto, o M5S e Grillo depositam grandes esperanças nas eleições municipais do início de junho, já que sua candidata em Roma, Virginia Raggi, aparece bem posicionada nas pesquisas de intenção de voto.   

Lula - O fundador do Movimento 5 Estrelas não foi o primeiro político italiano a comentar a crise política no Brasil. No mês passado, a deputada Elvira Savino, do Força Itália (FI), partido conservador de Silvio Berlusconi, declarou que o ex-presidente Lula é "alérgico à justiça", usando como argumento o veto à extradição de Cesare Battisti.   

Por outro lado, o senador Francesco Verducci, do centro-esquerdista Partido Democrático (PD), denunciou uma tentativa de criar "tensão e caos" por parte do poder Judiciário ao pedir a prisão do líder petista e ao divulgar grampos telefônicos. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos