Gucci nega ter usado modelo magra demais em campanha

ROMA, 6 ABR (ANSA) - A renomada grife italiana Gucci foi acusada pela Autoridade de Padrões da Publicidade do Reino Unido (ASA) de ter usado uma modelo magra demais em uma de suas coleções.   


Por causa disso, a marca teve o vídeo da campanha Cruise 2016, que começou a ser veiculada no ano passado, banido no Reino Unido pelo órgão e ainda recebeu uma recomendação da ASA de não divulgar mais as imagens.   


Para a autoridade, a modelo que usa um vestido longo, uma bolsa vermelha e aparece encostada na parede em algumas partes do vídeo é "magra de uma maneira não-saudável", "esquelética" e está usando uma maquiagem escura que tenta, mas não consegue, encobrir a sua cara abatida. Segundo a ASA, a maison foi "irresponsável" em promover sua coleção com alguém que beire a aneroxia.   


No entanto, a grife italiana se defendeu nesta quarta-feira, dia 6, dizendo que sua modelo não apresenta nenhum distúrbio alimentar e também relembrando que a campanha já não é mais divulgada.   


"A Gucci presta a maior atenção à seleção de modelos e a como as nossas campanhas publicitárias são realizadas. Nós levamos em consideração, mesmo não concordando, a sentença da ASA, que é uma instituição independente, em relação a uma modelo que apareceu na nossa campanha Cruise 2016. Tal campanha, como previsto no cronograma original, não é divulgada desde dezembro de 2015", afirma um comunicado oficial da marca.   


A maison já havia se justificado anteriormente que o alvo da propaganda era "mais velho e sofisticado" e que todas as duas modelos tinham um físico "fino e torneado", no qual seus ossos não estavam à mostra. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos