Economia italiana deve crescer 1,2% em 2016

ROMA, 08 ABR (ANSA) - Após uma alta de 0,8% em 2015, o Produto Interno Bruto (PIB) da Itália deve crescer 1,2% em 2016 e 1,4% em 2017. As previsões estão presentes no Documento de Economia e Finanças (DEF), instrumento por meio do qual é programada a política econômica do governo e aprovado nesta sexta-feira (8) pelo Conselho dos Ministros.   

Apesar de positiva, a projeção atual para 2016 é menor do que a anterior, de 1,6%. No entanto, isso não preocupa o primeiro-ministro do país, Matteo Renzi. "O fato de que haja uma revisão para 1,2% mostra seriedade. A Itália cresce, o crescimento acelera", disse o chefe de governo em uma coletiva de imprensa em Roma.   

Quem também comemorou foi o ministro das Finanças Pier Carlo Padoan, que afirmou que os números são resultado das medidas adotadas pelo governo. "O crescimento acompanha a melhora contínua das contas públicas, seja em termos de déficit, seja em termos de dívida", declarou.   

Uma das iniciativas defendidas pelo gabinete de Renzi como incentivadora do PIB italiano é a reforma trabalhista aprovada no fim de 2014, que flexibilizou as formas de contratação e demissão no país. Por outro lado, o fortalecimento da economia também é fruto do programa de compra de ativos públicos promovido pelo Banco Central Europeu (BCE), o "quantitative easing" ("flexibilização quantitativa").   

A medida adotada pelo presidente da instituição, Mario Draghi, injeta cerca de 60 bilhões de euros por mês nas nações da zona do euro. A Itália ainda luta para se recuperar de uma das piores crises financeiras de sua história, que provocou um longo período de recessão e a deixou com uma das mais altas taxas de desemprego da Europa. No último mês de fevereiro, o nível de desocupação ainda estava em 11,7%. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos