++ Comissão aprova parecer pró-impeachment de Dilma ++

SÃO PAULO, 11 ABR (ANSA) - Por 38 votos a favor e 27 contra, a comissão especial que analisa o pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff aprovou o parecer do relator Jovair Arantes (PTB-GO) que recomenda o prosseguimento do processo de afastamento da mandatária.   


Ficaram a favor do impedimento PSDB, PPS, PV, PSC, SD, PRB, PTB, DEM, PSB e PMB. Votaram contra o relatório de Arantes os partidos PT, PCdoB, PTN, PDT, PR, PSD, Psol, Rede, PTdoB e PEN.   


PMDB, PHS, PP e Pros liberaram seus deputados para se posicionarem como quisessem. A sessão foi marcada por gritos de "Fora Dilma" e "Não vai ter golpe", além de críticas à presidente, ao PT e a Luiz Inácio Lula da Silva, por parte da oposição, e ao líder da Câmara, Eduardo Cunha, e ao vice Michel Temer, por parte do governo, que o qualificou como "golpista" e "traidor".   


O pedido é assinado pelos juristas Miguel Reale Jr., Janaina Paschoal e Hélio Bicudo, fundador do PT, e acusa Dilma de crime de responsabilidade no caso das chamadas "pedaladas fiscais", quando a mandatária teria atrasado repasses a bancos públicos que seriam usados para cobrir benefícios sociais e previdenciários.   


A votação do processo de impeachment na Câmara deve começar na próxima sexta-feira (15), podendo continuar até o domingo seguinte (17). Para que o pedido de afastamento seja instaurado, é preciso ter pelo menos dois terços dos votos na casa, ou seja, 342. Do contrário, o processo é arquivado.   


Em seguida, o impeachment será analisado pelo Senado. Para a continuidade de sua tramitação, a Câmara Alta deve aprová-la por maioria simples entre os 81 senadores. Se isso ocorrer, Dilma será afastado e Michel Temer assumirá a Presidência.   


O Senado terá então 180 dias para julgar o impeachment da presidente, que exigirá dois terços dos votos, assim como na Câmara dos Deputados. As sessões de julgamento da mandatária serão comandadas pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski.   


Se o impeachment for confirmado, Dilma passará o cargo para Temer, que governará até 2018. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos