Assistente de monsenhor nega ter vazado dados em Vatileaks

CIDADE DO VATICANO, 11 ABR (ANSA) ? O ex-assistente do monsenhor espanhol Lucio Ángela Vallejo Balda, Nicola Maio, afirmou aos juízes do Tribunal de Estado Vaticano que "jamais" vazou dados da Comissão Especial sobre Assuntos Econômicos (Cosea).   

"Nunca, nunca, nunca subtraí documentos da Prefeitura de Assuntos Econômicos" da qual Balda era presidente, afirmou o ex-assessor. Maio ainda negou ter entregue documentos suspeitos a Balda a pedido de outros religiosos e que tudo que fez foi feito por seu "superior direto na Cosea, que respondia diretamente ao Papa".   

"Sentia-me usado por coisas não relativas ao processo, em atividades estranhas ao meu mandato e nas quais não me sentia à vontade", disse Maio ao ser questionado sobre seu relacionamento com o monsenhor e com a ex-funcionária vaticana Francesca Immacolata Chaouqui, também julgada no escândalo.   

Segundo o ex-assessor, os dois "queriam que eu participasse de atividades de promoção da associação Mensageiro da Paz, da fundação espanhola Santa Maria del Camino, que se ocupa dos bens imobiliários eclesiásticos, e da associação russo-espanhola São Nicolau". Para o ex-assistente de Balda, "havia uma dinâmica 'para-vaticana', qualquer coisa de impróprio, que eram estranhos à minha sensibilidade". "E não entendia como alguém que era encarregado de reconhecer e controlar as atividades econômicas poderia estar envolvido neste tipo de trabalho: era um conflito de interesses, por isso larguei tudo", declarou. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos