'Jóias' da máfia italiana serão expostas em museu

ROMA, 12 ABR (ANSA) - O novo Palazzo della Cultura da cidade de Reggio Calabria, na região da Calábria, dará início a partir do dia 7 de maio a uma mostra permanente que reunirá grandes e valiosas obras de arte confiscadas da máfia italiana.   


Entre as "jóias" que serão expostas nos 400 metros quadrados do espaço, estarão 125 pinturas, desenhos e quadros de grandes artistas, como Salvador Dalí, Giorgio De Chirico, Lucio Fontana e Antonio Ligabue.   


O uso do "palazzo" calabrês para as obras que estavam sobre o poder da máfia italiana faz parte de um projeto Stati Generali della Cultura da província de Reggio Calabria que, de 25 de abril a 25 de maio, realizará mais de 300 eventos, entre concertos, mostras, espetáculos e visitas guiadas a monumentos históricos e turísticos, para intensificar a luta contra a criminalidade.   


"A cultura e a luta pela legalidade estão estreitamente ligadas, como [ficará claro] na exposição das obras de arte confiscadas da máfia, que ficará permanentemente no novo Palazzo della Cultura [e que] será sempre um sinal, um aviso e um símbolo da recuperação do patrimônio devolvido à comunidade", explicou o assessor da província de Reggio Calabria da Cultura e da Legalidade, Eduardo Lamberti Castronuovo. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos