Papa fala sobre 'dor' vivida por refugiados em Lesbos

ROMA, 17 ABR (ANSA) - O papa Francisco disse que, durante sua visita a Lesbos, ilha grega que é porta de entrada de refugiados para a Europa, viu "muita dor" e tristeza.   

"Havia tantas crianças. Algumas dessas crianças viram seus pais, seus amigos, morrerem no mar. Vi tanta dor!", declarou neste domingo, dia 17.   

Francisco relatou a história de um homem muçulmano de cerca de 40 anos que era casado com uma cristã, de quem gostava e "se respeitavam mutuamente". Ela, no entanto, foi degolada por terroristas após não aceitar a renunciar a Cristo e abandonar sua fé. "É uma mártir!", concluiu. O objetivo de Jorge Mario Bergoglio na ilha foi levar uma mensagem de apoio aos imigrantes. Desde o ano passado, a Europa enfrenta o maior fluxo de deslocamento forçado de pessoas desde o fim da Segunda Guerra Mundial (1939-1945).   

Refugiados - O grupo de 12 refugiados sírios que o papa Francisco trouxe no último sábado, dia 16, de Lesbos, na Grécia, para a Itália já começou a ter aulas de italiano.   

Em seu primeiro dia em Roma, a três famílias recebidas na comunidade de Sato Egídio estão tentando se adaptar à nova realidade. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos