Totti salva Roma, e técnico se rende:'O melhor que há'

ROMA, 20 ABR (ANSA) - Há quem diga que Francesco Totti é um problema para a Roma, mas o futebol insiste em mostrar que ídolo não se descarta. Preterido pelo técnico Luciano Spalletti devido a sua idade avançada, o maior nome da história do clube giallorosso mostrou mais uma vez que ainda é capaz de operar alguns milagres.   


A Roma perdia em casa para o Torino por 2 a 1 nesta quarta-feira (20), quando o treinador cedeu aos apelos da torcida e colocou "il Capitano" ("o Capitão") em campo. O relógio marcava 41 minutos da etapa complementar, não havia tempo para nada. Mas havia para Totti.   


Poucos segundos depois, o meio-campista aproveitou uma cobrança de falta de Pjanic e empatou para o time da capital, empolgando o estádio Olímpico. Aos 44, o êxtase ficaria completo.   


Maksimovic tocou a bola com a mão dentro da área, e o juiz marcou pênalti. Na cobrança, ele, o ídolo, o capitão, o maior jogador da história da Roma. Sem dar chances para o goleiro, Totti fez o terceiro gol romanista e salvou um jogo que parecia perdido.   


Nas arquibancadas, torcedores deliravam com a intervenção decisiva do meio-campista na partida. Alguns até choravam. Com a vitória, a Roma chegou a 68 pontos na Série A e ficou muito perto de confirmar sua vaga na próxima Liga dos Campeões da Europa.   


"Estou muito orgulhoso de Totti", declarou o presidente giallorosso, James Pallotta, que tem servido de árbitro no conflito entre o craque e Luciano Spalletti. Desde que voltou ao banco romanista, no início do ano, o treinador insiste em manter Totti na reserva, o que já os levou quase às vias de fato.   


Nesta semana, os dois anunciaram um jantar juntos para arrefecer os rumores, mas não convenceram muita gente. Na Itália, a imprensa esportiva falou em "paz armada" para definir o encontro. O meia-atacante tem contrato até o fim da atual temporada, porém seu futuro permanece incerto.   


"Quando estamos em dificuldade, contra um time que se fecha, Totti é o melhor que há", admitiu Spalletti após a partida e chamando de "fábula" a doppietta do capitão. Por sua vez, o meio-campista afirmou que foi "uma bela emoção" marcar dois gols já no fim do jogo.   


Aos 39 anos, Totti é o maior ídolo da história do time giallorosso, pelo qual já fez quase 600 partidas e marcou mais de 300 tentos. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos