Na Itália,médicos são presos por acobertar erros em hospital

REGGIO CALABRIA, 21 ABR (ANSA) - Após uma investigação da Guarda de Finanças em Reggio Calábria, quatro médicos foram presos e outros seis foram suspensos de suas funções por terem criado e/ou participado de um sistema de acobertamento de erros praticados em hospitais.   

Segundo as autoridades informaram nesta quinta-feira (21), o grupo foi criado após uma série de erros cometidos por obstetras em cirurgias com grávidas - sejam partos ou outras intervenções - e em pacientes comuns para evitar processos de responsabilidade.   

Os profissionais trabalhavam nos setores de Obstetrícia e Ginecologia, Neonatal e de Anestesia dos hospitais "Bianchi-Melacrino-Morelli", mais conhecidos na Itália como "Hospitais Reunidos". De acordo com direção das entidades, vários profissionais investigados já não trabalham mais nos hospitais.   

As investigações começaram após a denúncia da morte de dois recém-nascidos e de lesões irreversíveis que causaram paralisia total em outro bebê. Além disso, houve a denúncia de traumas e crises epiléticas em uma mulher em trabalho de parto, um aborto cometido em uma mulher inconsciente e sem sua autorização e lacerações nas áreas genitais das mulheres que passaram por partos naturais.   

Os 10 profissionais responderão por crimes de falsidade ideológica e de material, subtração,destruição e ocultamento de atos verdadeiros e interrupção de gravidez sem consenso da mulher. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos