Conheça os quimonos meisen, símbolos da modernidade japonesa

ROMA, 27 ABR (ANSA) - Para comemorar o aniversário de 150 anos das relações entre Japão e Itália, o Instituto Japonês de Cultura de Roma receberá de 22 de abril a 4 de junho a exposição Vivid Meisen, que contará a história de um período do país asiático a partir dos famosos quimonos meisen.   


Esse tipo de vestimenta surgiu com a modernização do Japão.   


Mesmo que na antiguidade a seda já fosse produzida em várias regiões do país asiático, é a partir de 1854, ano da abertura das relações da nação com o exterior, que a produção do tecido toma um impulso decisivo.   


A seda passa a ser o principal bem de exportação para a Europa e para os Estados Unidos. No entanto, nem toda a grande produção do material tinha uma ótima qualidade. Por isso, a parte fora dos padrões de exportação começou a ser usada pelas famílias de sericultores como tecido para roupas do dia a dia. É assim que surge o meisen, material realizado com as sobras da produção de seda, e os quimonos desse tipo.   


Paralelamente à exportação da matéria-prima, a vida dos japoneses começa a se modernizar, com influências ocidentais como o cinema, as cafeterias, os grandes salões de dança e a moda de maneira geral, cada vez mais fortes.   


Essa mudança do estilo de vida da população do país começou a ser percebida também nos quimonos, que começaram a ganhar novas estampas, inspiradas nas vanguardas artísticas europeias do começo do século XX, como impressionismo, cubismo, fauvismo e futurismo. Além disso, motivos alegres, coloridos e com estampas de flores, formas geométricas, animais e até objetos inanimados, de eletrodomésticos a carros, deram um ar mais informal e despojado para esse tipo de roupa, que cada vez mais se distanciava do tradicional e rígido quimono japonês da antiguidade.   


O tecido meisen começa, então, a ser produzido em larga escala na planície de Kanto, em particular em Hachioji, Ome, Chichibu, Isesaki, Kiryu, Ashikaga e Sano, onde as novidades da moda chegavam rápido e a distribuição dos produtos era frequente.   


Além disso, neste momento, surge a figura social da mulher japonesa estudante e trabalhadora. Na primeira metade do século XX, o quimono meisen consegue ter um enorme sucesso nessas duas novas categorias femininas.   


Um dos maiores pólos da vestimenta era a cidade de Ashikaga, na província de Tochigi. No município, foram criados e produzidos modelos refinados, elegantes e econômicos que tinham a seu favor uma forte campanha de marketing, com vários cartazes e propagandas espalhados pelo país.   


Muitas das estampas das peças eram pintadas por artistas famosos da época, como Shuho Yamakawa e Shinsui Ito. E para quem se interessar, os desenhos originais ainda podem ser admirados até hoje nas salas do Ashikaga Museum of Art. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos