No Brasil, 1,1 mi de mulheres têm nomes masculinos italianos

SÃO PAULO, 29 ABR (ANSA) - A página publicada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na última quarta-feira (27) com dados relativos ao Censo Demográfico de 2010 revela uma série de curiosidades sobre a forma como são chamados os cidadãos do país, inclusive que, no Brasil, 1.134.340 mulheres têm nomes que são masculinos em italiano.   


É inegável que as palavras podem ganhar significados completamente novos quando atravessam as fronteiras de sua nação de origem, mas é curioso notar como algumas das alcunhas de homem mais populares da Itália passaram a ser usadas para designar pessoas do sexo feminino no gigante sul-americano.   


É o caso de Simone, nome tipicamente italiano que está no RG de 339.535 mulheres brasileiras, ou 0,19% da população feminina do país. A lista ainda conta com Daniele (251.469, 0,14%), Michele (200.531, 0,11%), Andrea (174.949, 0,10%), Gabriele (122.545, 0,07%) e Emanuele (37.734, 0,02%).   


Há também outros menos usados, como Elia, nome de 7.262 mulheres brasileiras, e Samuele, de 72. Ambos não chegam a 0,01% da população feminina do Brasil. No entanto, alguns pais preferiram manter a tradição italiana e batizar filhos do sexo masculino com essas alcunhas - em número muito menor, é verdade.   


Dentre elas, o mais popular é Gabriele: 2.203 homens brasileiros responderão se forem chamados assim. Em seguida, aparecem Daniele (2.052), Michele (1.472), Andrea (1.145), Simone (964), Elia (797) e Emanuele (455). Dos citados nos parágrafos acima, apenas Samuele não aparece nos registros do IBGE como nome masculino.   


Existem dois casos em que a forma original prevalece em relação à adaptação brasileira: 2.903 homens do Brasil foram registrados como Nicola, contra 209 mulheres, e 134 receberam o nome de Raffaele, contra somente 34 cidadãs - neste caso, foi considerada apenas a grafia tradicional, com "f" duplo.   


Simone (23º), Daniele (31º), Michele (28º), Andrea (4º), Gabriele (8º), Emanuele (29º), Elia (46º), Samuele (17º), Nicola (42º) e Raffaele (50º): todos estes nomes estão entre os 50 mais usados na Itália em 2014 para batizar meninos, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (Istat) do país. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos