Oposição quer reverter decisão de Maranhão sobre impeachment

SÃO PAULO, 9 MAI (ANSA) - Pegos de surpresa nesta segunda-feira (9) pela decisão do presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), de anular a votação de impeachment de Dilma Rousseff, deputados e partidos da oposição prometeram tomar medidas para reverter a situação. De acordo com fontes dos bastidores, os deputados pretendem atuar em duas frentes. A primeira delas seria um pedido de mandato de segurança ao Supremo Tribunal Federal (STF) para garantir o direito dos deputados que votaram na sessão de 17 de abril sobre o impeachment de Dilma. A outra é um recurso ao plenário da Câmara, em nome dos líderes da Casa, pedindo o afastamento de Maranhão sob alegação de que suas ações estão interferindo na funcionalidade do Congresso. "Um deputado que desconhece que o impeachment já está no Senado e que, na Câmara, é matéria vencida não tem condições de nos representar", disse o deputado Felipe Maia, do DEM. "Não resta outra opção aos deputados senão declarar a vacância do cargo e convocar novas eleições para presidente da Câmara em cinco sessões", defendeu o parlamentar. Waldir Maranhão, que votou contra o processo de impeachment, assumiu a Presidência da Câmara dos Deputados na semana passada, após o STF afastar Eduardo Cunha de suas funções, reconhecendo que o deputado poderia obstruir as investigações da Petrobras e seu processo no Conselho de Ética. "Ninguém achou que o PT ia desistir tão fácil, né? Óbvio que é mais uma tentativa de não aceitar a democracia", disse o deputado Caio Narcio, do PSDB, citando informações de que Maranhão se reuniu com o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, na semana passada para falar do impeachment. No último dia 6, a conta no Twitter "@PTnaCâmara" publicou uma mensagem pedindo para Maranhão anular a votação de impeachment.   


"Os defensores da democracia, da soberania do voto popular e da legalidade pedem!#AnulaMaranhão". Parlamentares aliados ao governo, assim como a própria presidente Dilma Rousseff e o PT, comemoraram a decisão de Maranhão, mas pediram cautela. "Surpreendente decisão de Waldir Maranhão embaralha o golpe em curso. Direita vai espernear", disse o deputado do PSOL Ivan Valente. "Líderes da direita estão desnorteados", completou.   


Por sua vez, o parlamentar Marcelo Freixo, também do PSOL, comentou que o "Brasil não é para principiantes". "House of Cards? Game of Thrones? A nossa realidade é mais emocionante", escreveu.   


"Temer nem assumiu e já está caindo?", disse em seu perfil oficial a ex-deputada e militante do PSOL Luciana Genro. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos