Itália recebeu mais imigrantes do que a Grécia em abril

SIRACUSA, 13 MAI (ANSA) - Pela primeira vez desde junho de 2015, a Itália superou a Grécia no número de imigrantes que chegaram ao território através do Mar Mediterrâneo, informou a operação Frontex (que controla as fronteiras marítimas da União Europeia) nesta sexta-feira (13). Em abril, 8.370 que chegaram à Europa através do Mediterrâneo Central contra cerca de 2.700 chegadas pelo Mediterrâneo Oriental. Apesar de alto, o número de desembarques na Itália é 13% menor do que aquele registrado em março e 50% menor do que no mês de abril de 2015. Já na área grega, a queda foi de 90% em relação ao mês de março.   

Essa mudança pode ser explicada de duas maneiras: a primeira é que os portos e ilhas italianos recebem um fluxo contínuo de deslocados de áreas do norte da África e não das guerras do Oriente Médio. De acordo com o Frontex, a maior parte dos imigrantes que chegam à Itália vem da Eritreia, do Egito e da Nigéria; na Grécia, continuam sendo sírios, paquistaneses, afegãos e iraquianos.   

A segunda forma de analisar os dados é pelo fechamento de grande parte das rotas terrestres que os estrangeiros faziam pela Grécia e seus países de fronteira e do acordo de imigração entre União Europeia e Turquia. Isso pode ter desestimulado a tentativa de entrar na Europa pelo território grego. Contudo, o documento do Frontex explica que não foi observado um "deslocamento significativo de imigrantes que deixam a rota do Mediterrâneo Oriental". Ou seja, não são aqueles imigrantes que iriam para a Grécia que chegaram ao território italiano.   

"O que houve foi uma drástica redução das chegadas nas ilhas gregas. [Em abril], os números estão bem abaixo do número enorme de pessoas que víamos chegar diariamente na ilha de Lesbos nos meses de pico do último ano", explicou o diretor da operação, Fabrice Leggeri.   

A questão da "mudança de rota" de imigrantes causou uma crise entre os governos da Áustria e de Roma recentemente. Os austríacos ameaçaram fechar a fronteira em Brennero alegando que os italianos receberiam o dobro de imigrantes por causa do fechamento das rotas gregas. Até o momento, esse dado não se confirmou.   

- Quase mil salvamentos em 24 horas: O relatório do Frontex foi divulgado no mesmo dia em que a Guarda Costeira da Itália resgatou 998 pessoas em menos de 24 horas em diversas embarcações clandestinas que tentavam chegar à Sicilia e à Calábria através do Mar Mediterrâneo.   

Segundo os dados oficiais, 342 imigrantes foram resgatados e desembarcados no porto de Agusta e 250 desembarcaram em Catânia.   

Outros dois navios comerciais, que ajudaram nas operações da Guarda Costeira, irão desembarcar 173 pessoas em Palermo e outras 233 em Crotone ainda hoje. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos