Com protestos contra Keiko, Peru faz 2º turno de eleições

ROMA, 5 JUN (ANSA) - O Peru realizou neste domingo (5) o segundo turno das eleições presidenciais, com Keiko Fujimori, filha do ex-ditador Alberto Fujimori, tendo possibilidades de vencer o ex-ministro da Economia Pedro Pablo Kuczynski. Apesar da polêmica em torno de seu nome, Keiko mantinha 51,6% das intenções de voto ao longo da semana, em uma estreitíssima margem de liderança. Muitos peruanos dizem que Keiko é uma ameaça para a democracia, uma vez que seu pai está preso por violações aos direitos humanos durante seu governo (1990-2000). Ela, porém, conduziu uma campanha eleitoral agressiva, percorrendo todo o Peru e conquistando o apoio de grupos distintos, como os evangélicos, ao se declarar contrária ao aborto e ao casamento gay.   

As urnas foram abertas às 8h locais (10h no Brasil) e cerca de 23 milhões de peruanos estavam habilitados a votar.   

Keiko emitiu seu voto no colégio Virgem da Assunção, no distrito de Santiago de Surco, e fez um chamado para que os eleitores votassem "com fé, esperança e ordem, sem violência". Ela aguarda os resultados do comício em um hotel, junto com sua equipe.   

Apesar do apelo, foram registrados alguns incidentes no país. Um casal em Surco chegou a ser preso por comparecer à urna com uma camiseta contra Keiko. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos