Atirador teria ligado para polícia e jurado fidelidade ao EI

ROMA, 12 JUN (ANSA) - O suposto atirador Omar Mateen teria ligado para o serviço de emergência da polícia norte-americana e jurado fidelidade ao grupo terrorista Estado Islâmico (EI, ex-Isis) antes de cometer o massacre em uma boate gay de Orlando.   

A informação foi divulgada pelas emissoras "NBC News" e "CNN", que citam fontes policiais. De acordo com os canais, ele teria citado o nome do líder do Califado na Síria, Abu Bakr al-Baghdadi. A polícia ainda não confirmou se Mateen era realmente o atirador e se ele tinha ligações com grupos extremistas e o pai do atirador afirmou que o crime foi motivado por motivos "homofóbicos". Já o jornal "Los Angeles Times" informou que outro homem foi preso na cidade após ser barrado em uma blitz com o carro repleto de armas e bombas. Ele estaria indo para a Parada Gay da cidade. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos