Há um ano da candidatura, Trump desafia Partido Republicano

SÃO PAULO, 16 JUN (ANSA) - Há exatamente um ano, Donald Trump, um dos políticos mais contraditórios da história dos Estados Unidos, se tornava oficialmente pré-candidato das eleições presidenciais do país pelo Partido Republicano.   

No dia 16 de junho de 2015, o norte-americano, conhecido até então por ser um dos maiores magnatas de Nova York e pelo seu programa de TV "The Apprentice", anunciou que iria participar da corrida eleitoral para renovar a Casa Branca e "make America great again" ("tornar os Estados Unidos ótimos novamente"), frase que seria um dos principais slogans da sua campanha.   

Em meio a comentários machistas, racistas e homofóbicos, falas preconceituosas com latinos, árabes e deficientes físicos e ideias grandiosas e absurdas, como a construção de um enorme muro pra combater a imigração de mexicanos e a proibição da entrada de muçulmanos nos Estados Unidos, Trump se consolidou com um dos políticos mais polêmicos do país.   

O milionário, que é o maior adversário da pré-candidata democrata Hilary Clinton, já conta com o número suficiente de delegados para garantir a sua nomeação republicana à Casa Branca. No entanto, seu comportamento radical não agrada a maioria dos seus companheiros de partido, que estão descontentes com os discursos de Trump.   

E esse sentimento é recíproco. Durante um debate político em Atlanta nesta quarta-feira, dia 15, o magnata disse que os republicanos deveriam começar a apoiá-lo ou do contrário ele iria seguir a corrida sozinho.   

"Vocês sabem, os republicanos têm que se tornar mais duros. Isso [corrida eleitoral] é muito difícil de se fazer sozinho. Mas vocês sabem de uma coisa? Eu estou acreditando que serei forçado a fazer assim", comentou o norte-americano à uma plateia de cerca de 4 mil pessoas.   

"Nossos líderes têm que estar muito mais preparados. E ficarem quietos. Por favor fiquem quietos. Não falem. Nós temos que ter os republicanos unidos ou só me deixem fazer isso sozinho", disse o milionário. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos