Morsi é condenado à prisão perpétua por espionagem

CAIRO, 18 JUN (ANSA) - O ex-presidente do Egito Mohamed Morsi, derrubado por um golpe militar em julho de 2013, foi condenado neste sábado (18) à prisão perpétua por espionagem.   

De acordo com um tribunal do Cairo, o ex-mandatário passou segredos militares do país ao Catar. No mesmo processo foram sentenciados à pena de morte seis pessoas, incluindo dois jornalistas da rede catariana "Al Jazeera". Ainda cabe recurso.   

Essa não é a primeira condenação imposta a Morsi, que já pegou penas de morte, perpétua e de 20 anos de prisão e recorreu contra todas elas. Ainda está em curso um quinto processo, por difamação da magistratura.   

Ligado à Irmandade Muçulmana, colocada na clandestinidade no Egito, Morsi foi o primeiro presidente eleito após a queda do ditador Hosni Mubarak, em 2011. No entanto, ele foi destituído por uma revolta militar, com apoio popular, comandada pelo general Abdel Fatah al Sisi, hoje chefe de Estado egípcio.   

(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos