Lei quer profissionalizar 'pizzaiolos' na Itália

ROMA, 21 JUN (ANSA) - À mesa, a Itália é imbatível na arte da pizza. Nos bastidores das cozinhas, porém, os pizzaiolos italianos sofrem com a falta de leis trabalhistas que garantem os direitos e os deveres da categoria, o que ameaça a tradição gastronômica desse alimento mundialmente famoso. Para preencher esse vácuo legislativo, 22 senadores apresentaram hoje (21) um projeto de lei que prevê a criação do registro de pizzaiolo profissional na Itália. Se aprovado, o texto regulamentará o trabalho de 100 mil profissionais no país, responsáveis por um setor que representa 50% do faturamento dos restaurantes de toda a Itália. A iniciativa partiu do senador Bartolomeo Amidei, do partido Forza Italia (FI), do Vêneto, e foi bem recebida pela maioria das associações de pizzaiolos locais. Com 10 artigos, o projeto de lei exige que, para se tornar pizzaiolo, o profissional frequente um curso com carga mínima de 120 horas e passe por um exame teórico e prático.   


O registro profissional visa a garantir a qualidade das pizzas italianas e a proteção dos consumidores. Desde o ano passado, a Itália recolhe assinaturas em todo o mundo para sustentar a candidatura da pizza napolitana ao título de Patrimônio da Humanidade da Unesco. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos