Reunião da OEA termina sem decisão sobre a Venezuela

WASHINGTON, 23 JUN (ANSA) - A Organização dos Estados Americanos (OEA) encerrou nesta quinta-feira, dia 23, uma reunião de seu Conselho Permanente sobre a atual crise econômica e política que assola a Venezuela sem uma decisão sobre a aplicação da Carta Democrática, como pede o secretário-geral, o uruguaio Luis Almagro.   

O grupo se reuniu para discutir o que ele chamou de sérios abusos da democracia. "O Conselho Permanente deve manter-se do lado correto da história e defender um povo que precisa de voz", disse Almagro. O uruguaio defende uma possível aplicação da Carta Democrática, que permite suspender os países-membros da organização que violarem as garantias democráticas. A decisão de Almagro, que é ex-ministro das Relações Exteriores do Uruguai na gestão de José Mujica (2010-2015), é sem precedentes na OEA. Para a chanceler da Venezuela, Delcy Rodríguez, "estão usando do organismo para perseguir o governo da Venezuela e deslegitimar-lo". Ela chegou a tentar impedir o prosseguimento da reunião.   

Não ficaram claros os próximos passos do organismo ou se a votação sobre a aplicação da Carta Democrática deve ser retomada em breve.   

A Venezuela sofre com uma inflação galopante (a maior da América Latina), acompanhada de uma crise produtiva, problemas de distribuição de produtos de primeira necessidade, mercado golpeado por medidas de restrição e regulamentação. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos