O que se sabe até agora sobre o atentado na Turquia?

Em São Paulo

  • AP

A Turquia foi novamente palco de um ataque na noite de terça-feira (28). Três homens atiraram e detonaram bombas no aeroporto de Ataturk, em Istambul, provocando a morte de ao menos 41 pessoas e deixando outras 239 feridas. O que se sabe até agora sobre o atentado?

1) Como o ataque ocorreu?

De acordo com as primeiras investigações das autoridades turcas, três homens, provavelmente de nacionalidade estrangeira, atiraram e detonaram bombas presas ao corpo no aeroporto por volta das 22h locais. Dois deles agiram no saguão de check-in internacional e um, no estacionamento. Ambos locais estavam lotados no momento do ataque. A polícia acredita que, além dos três suicidas, outras quatro pessoas estariam por trás do ataque. Três teriam conseguido fugir e uma já estaria detida.

Todas as imagens, vídeos e fotos relacionadas ao atentado foram proibidas pelo governo turco de serem exibidas na imprensa local. A medida já tinha sido adotada em outros casos.

2) O atentado deixou quantas vítimas?

No início, falava-se em 28 mortos. Depois, o número foi atualizado para 36. Nesta quarta-feira (29), a Turquia informou que 41 pessoas morreram, além dos três homens que cometeram o atentado. Entre as vítimas, há 13 estrangeiros, entre ele cinco sauditas, dois iraquianos, um tunisiano, um chinês, um iraquiano, um ucraniano, um uzbeque e um jordaniano. Outras 239 pessoas estão feridas, sendo 41 internadas na UTI (unidade de terapia intensiva).

3) Quem cometeu o atentado?

Nenhum grupo ou organização assumiu a autoria do ataque ainda, o que dificulta detectar os motivos reais da tragédia. Os terroristas na Turquia não costumam atuar como lobos solitários, como ocorre em outros países. Geralmente, eles agem coordenadamente com grupos terroristas, como o PKK ou o Estado Islâmico (EI, ex-Isis, também chamado de Daesh em árabe).

O PKK tem como objetivo criar uma nação curda em áreas habitadas majoritariamente por eles na Turquia. Para isso, cometem atentados contra o país e o governo de Recep Tayyip Erdogan. O PKK é aliado dos curdos sírios, os quais, por sua vez, são apoiados pelos Estados Unidos.

No entanto, o atentado do aeroporto Ataturk é semelhante aos praticados pelo Estado Islâmico e idêntico ao ocorrido no aeroporto de Bruxelas em 22 de março, quando três homens abriram fogo e detonaram bombas.

O PKK e o EI são inimigos entre si, já que o Estado Islâmico ataca, mata e persegue minorias religiosas em suas regiões de domínio, como na Síria e no Iraque, onde tenta fundar um califado islâmico sunita e ampliá-lo globalmente. Enquanto o PKK age com um ideal nacionalista e separatista. Portanto, a Turquia lida com duas ameaças simultâneas e de origens opostas.

Além do PKK e do EI, outras organizações rebeldes menores podem ter planejado o ataque como forma de protesto ao governo de Erdogan, que voltou a restabelecer relações diplomáticas com Israel na segunda-feira (27) e é um aliado do russo Vladimir Putin (que também atua no combate ao EI na Síria e apoia Ancara na luta contra os curdos separatistas).

4) Os voos no aeroporto de Istambul estão cancelados?

O aeroporto de Ataturk ficou fechado logo após o ataque, mas reabriu parcialmente nesta quarta-feira (29), já operando alguns voos. Ele é um dos maiores aeroportos do mundo, 11º na lista de fluxo de passageiros, e tem voos para o Brasil.

5) A Turquia já foi palco de outros atentados?

Sim, o país tem sido alvo de vários ataques nos últimos tempos, o que vem prejudicando a economia e o turismo local, que registra uma queda de mais de 20%. Foram oito atentados somente neste ano.

- Em 7 de junho de 2016: Um ônibus policial foi atacado por tiros e explosivos acionados à distância. O ato deixou 11 mortos e 36 feridos.

- Em 27 de abril de 2016: Uma mulher suicida detonou bombas na cidade de Bursa, a quarta maior do país, perto da Grande Mesquita. Apenas a terrorista morreu, mas 13 pessoas se feriram.

- Em 19 de março de 2016: Suicidas atacaram turistas em Istambul e mataram seis pessoas, entre eles quatro estrangeiros.

- Em 13 de março de 2016: No total, 35 pessoas morreram na explosão de um carro-bomba no centro de Ancara, em um ataque atribuído aos curdos.

- 17 de fevereiro de 2016: Um carro-bomba explodiu em Ancara perto de um complexo militar e matou 29 pessoas. O governo também culpou os curdos pelo ato.

- 14 de janeiro de 2016: Um policial e cinco civis morreram em um ataque com um carro-bomba diante de uma delegaria em Cinar, no sudeste do país. A explosão derrubou um prédio e foi assumida por extremistas curdos.

- 12 de janeiro de 2016: Um ataque suicida em Sultanahmet, no centro histórico de Istambul, matou 12 pessoas (10 turistas) e feriu 16 pessoas. O atentado foi assumido pelo Estado Islâmico.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos