Eleições australianas têm disputa acirrada

SÃO PAULO, 04 JUL (ANSA) - As eleições realizadas no último sábado (2) na Austrália mostram uma disputa acirrada entre o oposicionista Partido Trabalhista, liderado por Bill Shorten, e a coalizão Liberal-Nacional, do atual primeiro ministro Malcolm Turnbull, que só será decidida após a contagem de todos os votos.   

Com mais de 93% da apuração concluída, os conservadores têm 69 cadeiras, o mesmo número de deputados obtidos pelos trabalhistas, do total de 150 que formarão o Parlamento nacional depois do pleito. Para estabelecer um novo governo sem precisar de alianças com outros partidos, é necessário ter 76 assentos.   

Outros cinco grupos políticos de menor expressão também conquistaram representação no Congresso. Os Independentes ficaram com duas cadeiras, enquanto o populista Katter's Australian, o centrista Nick Xenophon Team e os Verdes, aliados dos Trabalhistas, obtiveram um assento cada.   

Durante a campanha, Turnbull abordou a saída do Reino Unido da União Europeia e argumentou que os partidos menores não eram confiáveis para fazer com os trabalhistas a gestão de uma economia em queda e equilibrar as finanças públicas após anos de déficit.   

O resultado final das eleições australianas deve ser conhecido nesta terça-feira (5).   

Parlamento Linda Burney, ex-professora de 59 anos, tornou-se a primeira mulher aborígene a ser eleita para a câmara baixa do Parlamento do país.   

A conquista representa um momento importante para a Austrália, já que, apesar de serem nativos, os aborígenes sofrem com a pobreza e exclusão e vivem com indicadores sociais abaixo da média nacional. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos