Relembre os destaques da Semana de Alta-Costura de Paris

SÃO PAULO, 8 JUL (ANSA) - A Semana de Alta-Costura de Paris outono-inverno 2016/2017 terminou oficialmente nesta quinta-feira, dia 7, com apresentações das novas coleções de jóias de grandes e imponentes grifes como Bulgari, Chanel, Dior e Louis Vuitton.   


Mas para quem não ficou sabendo das últimas tendências da moda de luxo apresentadas na Paris Haute Couture Fashion Week ou não conseguiu ver os looks dos principais desfiles do evento, nós fizemos um resumo do mais importante.   


A coleção sexy, colorida e assimétrica do Atelier Versace - Conhecida pelo luxo, sofisticação e qualidade das suas peças, a casa de moda italiana trouxe mais uma vez para Paris uma coleção sexy com algumas pitadas românticas.   


Nas passarelas, pôde ser visto muito drapeado, assimetrias, fitas em camadas, casacões e grandes laços sobrepostos, que juntos destacavam os profundos decotes e fendas, já bem conhecidos e amados quanto se trata da Versace.   


Entre as cores, o lavanda se destacou junto a tons mais pasteis de rosa, azul, cinza e dourado, enquanto cores mais fortes como vermelho e preto deram um precioso contraste.   


O branco e preto clássico da Dior - A famosa silhueta "Bar", verdadeira essência da Dior, foi a principal inspiração dos estilistas Lucie Meier e Serge Ruffieux que, juntos, criaram a coleção.   


Composta por uma jaqueta de cintura ajustada usada com uma saia longa, ela apareceu em boa parte da coleção com variações e em um brilhante contraste entre preto e branco.   


As cores da nova coleção, aliás, são de particular importância para os estilistas. A combinação dos dois tons representa a dualidade entre masculino e feminino e história e modernidade. A única cor diferente encontrada em algumas peças foi o dourado, que apareceu em bordados e foi usado em joias.   


A homenagem às costureiras da Chanel - A alta-costura não seria nada sem o delicado trabalho das "petites mains", costureiras especializadas em detalhes e acabamentos. E sabendo disso, a Chanel decidiu fazer um desfile homenageando essas e as demais funcionárias da grife.   


Assim, enquanto as modelos passavam, costureiras apareciam trabalhando no fundo da passarela, como um cenário, que também foi composto por máquinas de costura, mesas, espelhos, tecidos, manequins e rolos de fios e linhas.   


Sobre as peças em si, o tweed foi o protagonista, aparecendo em vários modelos e cores. Nos casacos, blusas e vestidos, os ombros se destacaram, sendo amplos e com uma inspiração nas ombreiras na década de 1980. Já as cores permaneceram mais sóbrias por todo o desfile, tendo como as principais preto, branco, cinza, marrom, beje, azul e rosa quartzo, essas últimas sendo responsáveis pelo discreto destaque dos looks.   


A mulher elegante e belíssima da Giorgio Armani Privé - A mulher que a nova coleção da grife Giorgio Armani Privé mostrou nas passarelas de Paris era "belíssima" e elegante.   


Intitulada "Essence", a coleção do estilista italiano contou com 58 looks onde as peças mais admiradas foram uma saia volumosa nos quadris com um rabo em veludo preto, corpetes em tule com um look nude e blusas transparentes com bolsos decorados com cristais Swarovski e pingentes dourados na altura dos seios.   


Além disso, os looks também contaram com calças de terninhos amplas e de modelo saruel estreitas nos calcanhares, jaquetas fluidas que afinavam as silhuetas, em motivos estampados e bordados em seda com pied de poule.   


Capas de cetim de duchesse trabalhadas em preto e celeste ou preto e rosa pálido, coletes com pedras e cristais incrustados, casacos de pele cinza com plumas e um vestido de gala preto com babados de veludo também chamaram a atenção no desfile.   


A exuberante rainha das florestas da Jean Paul Gautier - Nessa temporada de moda de alta-costura, uma das casas de moda mais chocantes e provocativas não desaminou seus admiradores e colocou nas passarelas de Paris modelos que nasceram para serem rainhas das florestas.   


Estampas que lembram tábuas de madeira foram vistas em vestidos e macacões compridos, motivos que remetem à natureza apareceram em vestidos mais soltos, leves e bufantes e o xadrez das camisas de lenhadores esteve presente em versões largas, abertas e flaneladas de vestidos.   


Além disso, em relação aos materiais mais usados, apareceram couro, flanela, cetim e pele, que foi vista em detalhes de vestidos, em coletes, em um casacão laranja que se arrastava até o chão e nos gorros vision de quase todas as modelos. Já sobre as cores, as principais foram o marrom, o verde, o preto e o laranja.   


A homenagem aos 400 anos da morte de William Shakespeare da Valentino - Em Paris, o desfile da Valentino foi marcado por duas coisas: pela saída da ex-diretora criativa da grife, Maria Grazia Chiuri, que agora é a principal estilista da Dior, e pelos looks inspirados na época de William Shakespeare.   


A coleção da maison italiana quis fazer uma homenagem aos 400 anos da morte do dramaturgo britânico e suas peças pareciam que tinham saído de um filme de época. Vestidos largos, curtos ou não, foram completados por botas de cano alto pretas e de salto baixo. Babados e rufos elisabetanos dominaram as passarelas e deram um ar real e antigo à vestidos mais modernos, de couro, com fendas profundas e muita transparência.   


Aliás, os looks misturaram uma inocência da renascença com uma sensualidade mais moderna. As principais cores foram o branco e o preto, mas alguns looks deram espaço também para o vermelho, para tons mais apagados e sérios de amarelo e laranja, e para o marrom e o nude. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos