Pobreza cresce na Itália e atinge 4,6 milhões de pessoas

ROMA, 14 JUL (ANSA) - O número de pessoas vivendo em condição de pobreza absoluta na Itália chegou a 4,598 milhões em 2015, atingindo a cifra mais alta desde 2005, ainda antes da crise que jogou o país em uma longa recessão.   

O dado foi divulgado nesta quinta-feira (14) pelo Instituto Nacional de Estatística (Istat), que apontou também que a quantidade de famílias nessa situação é de 1,582 milhão. Em termos individuais, a incidência de pobreza absoluta entre os italianos chegou a 7,6% da população residente no país em 2015, contra 6,8% em 2014 e 7,3% em 2013.   

Já em termos de família, o índice registrado no ano passado é de 6,1%, uma leve alta em relação aos 5,7% do exercício anterior.   

Segundo o Istat, houve crescimento significativo da pobreza entre os núcleos familiares com quatro componentes (de 6,7% em 2014 a 9,5% em 2015) e exclusivamente estrangeiros (de 23,4% a 28,3%).   

"O governo está comprometido em melhorar as condições de vida dos cidadãos e em criar empregos", afirmou o ministro de Economia da Itália, Pier Carlo Padoan, comentando os dados divulgados pelo Istat.   

Em janeiro passado, o gabinete do primeiro-ministro Matteo Renzi aprovou um decreto que prevê investimentos de 600 milhões de euros em 2016 para combater a pobreza, mas seus resultados só devem aparecer no ano que vem. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos