Atirador de Baton Rouge dizia buscar 'justiça' para negros

BATON ROUGE, 18 JUL (ANSA) - O atirador que matou três policiais em Baton Rouge, nos Estados Unidos, no último domingo (17) tinha "certamente" como objetivo atingir agentes das forças de segurança norte-americanas.   

É o que disse nesta segunda-feira (18) o coronel Mike Edmonson, que participa das investigações na capital da Louisiana. "Seus movimentos e sua atenção estavam direcionados aos membros da polícia", declarou.   

O autor dos disparos foi identificado como Gavin Long, um ex-fuzileiro naval que deixara a Marinha dos EUA em 2010. Na internet, se identificava como "Cosmo Setepenra" e escrevia mensagens pedindo "justiça" para os negros.   

No Twitter, sua última mensagem, publicada poucas horas antes do ataque, foi: "Acordar todas as manhãs não quer dizer que se está vivo. E perder o corpo não quer dizer que se está morto". Long também esteve nos últimos dias em Dallas, cidade onde cinco policiais foram mortos em um massacre em 7 de julho.   

O futuro candidato republicano à Casa Branca, Donald Trump, afirmou nesta segunda-feira que o atirador tinha ligações com o "Islã radical". Já sua adversária, a democrata Hillary Clinton, defendeu restrições no acesso a armas nos EUA e uma reforma da justiça penal.   

Ainda não há uma confirmação oficial de que Long queria vingar a morte de negros pela polícia - na própria Baton Rouge, um afro-americano foi assassinado durante uma abordagem no início de julho -, mas o episódio certamente acirrará o debate sobre o racismo na sociedade dos Estados Unidos. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos