Erdogan diz que foi salvo por 'milagre' na noite do golpe

ESTAMBUL, 19 JUL (ANSA) - O presidente turco Recep Tayyip Erdogan disse que escapou da morte "por um milagre" na noite da última sexta-feira, dia 15, quando o país foi palco de um golpe de Estado fracassado.   

"Se eu tivesse ficado por mais dez ou 15 minutos" no resort de Marmaris, onde descansava com a família, "teria sido assassinado ou capturado", disse em entrevista à emissora "CNN".   

Erdogan ainda disse que dois de seus guarda-costas foram mortos pelos militares dissidentes do governo que invadiram o local pouco após sua saída. Durante a entrevista, o mandatário voltou a criticar Fethullah Gulen, dizendo que ele foi o "cérebro" da tentativa golpista. O clérigo apoiou o presidente até 2013, mas a aliança foi rompida após o governo ter fechado diversas escolas religiosas na Turquia. O opositor, que vive em exílio voluntário nos Estados Unidos, nega "categoricamente" qualquer participação no golpe. Pena de Morte - Erdogan também chamou atenção da imprensa mundial ao defender a pena de morte em discurso a uma multidão em Istambul no começo da semana. "A pena de morte existe nos Estados Unidos, na Rússia, na China e em vários países do mundo.   

Só na Europa não existe", disse. Ele reiterou que está disposto a ratificar a introdução da pena capital se obtiver aprovação do Parlamento. A sentença foi abolida no país em 2004. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos