Saiba o que fazer em Roma durante o Jubileu da Misericórdia

Por Ana Ferraz SÃO PAULO, 19 JUL (ANSA) - A cidade de Roma é uma das mais visitadas todos os anos por causa de sua beleza, arquitetura, história, arte, gastronomia e atrações turísticas, como o Coliseu, o Foro Romano e a Fontana di Trevi. No entanto, a capital italiana também é conhecida por sua abundância de igrejas e, obviamente, pela presença do Vaticano. E até o dia 20 de novembro deste ano, esse lado da "cidade eterna" estará em destaque com o Jubileu da Misericórdia.   


Também chamado de Ano Santo, o evento é uma grande solenidade da Igreja Católica que acontece tradicionalmente a cada 25 anos e representa um dos momentos mais importantes para os fiéis e religiosos de todo o mundo, quando lhes são concedidas graças espirituais e a expiação dos pecados.   


Como a última edição da celebração ocorreu em 2000, a próxima deveria acontecer apenas em 2025. No entanto, quando o Papa sente a necessidade de passar uma mensagem ao mundo e dar uma oportunidade para que os cristãos se aproximem mais de Deus, ele pode convocar um Ano Santo Extraordinário.   


Foi o que aconteceu quando Francisco anunciou um Jubileu com o tema da "misericórdia", que teve início no dia 8 de dezembro de 2015, data na qual foi comemorado o aniversário de meio século do Concílio Vaticano II, e que será finalizado em 20 de novembro de 2016.   


Repleta de eventos religiosos em todos os cantos do planeta, a solenidade tem como seu epicentro Roma e, por isso, a capital italiana é um dos principais destinos do ano para o turismo religioso, junto com a Terra Santa e Cracóvia, na Polônia, que receberá a Jornada Mundial da Juventude entre os dias 26 e 31 deste mês.   


De acordo com o portal oficial do Ano Santo, até o começo de junho, mais de 9,1 milhões de fiéis e peregrinos passaram por Roma e participaram de atrações relacionadas ao Jubileu. E entre os locais mais visitados por esse público está a Praça São Pedro, no Vaticano, onde os cristãos podem ver e escutar o Pontífice em eventos especiais, além das rotineiras audiências gerais nas quartas-feiras e dos Angelus nos domingos. Desde dezembro do ano passado, a praça já recebeu, por exemplo, o Jubileu dos Diáconos, dos Sacerdotes e dos Seminaristas e dos Doentes e das Pessoas com Deficiências. Já nos próximos meses, comemorações como o Jubileu do Voluntariado e dos Operadores da Misericórdia, no dia 2 de setembro, dos Catequistas, em 23 de setembro, o Jubileu Mariano, de 7 a 9 de outubro, e dos Encarcerados, em 6 de novembro, também acontecerão no local.   


No entanto, um dos eventos mais importantes que ocorrerão na praça será a missa de canonização da Madre Teresa de Calcutá, que terá início às 10h (às 5h no horário de Brasília) do dia 4 de setembro. A futura santa também será tema de outras celebrações na cidade durante o mês.   


Além da Praça São Pedro, outros destinos da capital merecem destaque, como as quatro basílicas papais de Roma, que abriram suas portas santas para o Jubileu. Tradicionalmente, as portas da basílica de São Pedro, de São João Latrão, de São Paulo Extramuros e de Santa Maria Maggiore, assim como as de grandes dioceses por todo o mundo, só são abertas durante os Anos Santos e representam um momento simbólico para o começo das comemorações do Jubileu.   


Para visitar os espaços e também participar dos eventos principais do calendário jubilar, é necessário fazer uma reserva no site oficial do Ano Santo. "Embora todos os santuários do mundo estejam com as suas portas santas abertas - para aqueles que não tinham foram feitas portas simbólicas -, no Vaticano nós temos a verdadeira Porta Santa", afirmou Pedro Kempe, da agência especializada em turismo religioso Domus Viagens, explicando por que é "indispensável" visitar as basílicas papais, principalmente a de São Pedro.   


Já Fátima Nascimento, da operadora também especializada em roteiros religiosos Milessis Turismo, comenta que ainda é possível aproveitar o Ano Santo em Roma e que para isso "o básico é a visita à área do Vaticano, às quatro basílicas e à Escada Santa".   


Nascimento afirma que as clássicas atrações turísticas de Roma, como o "Coliseu, a Fontana di Trevi, o Panteão, o Arco de Constantino e os Museus Vaticanos", também devem ser conhecidas e que, em muitos casos, cultura e religião se misturam na cidade, como nas milhares de obras de arte dos Museus Vaticanos e na famosa escultura "Pietà", de Michelangelo, que se encontra no interior da basílica de São Pedro.   


Além disso, as duas agências deram conselhos para os brasileiros que ainda pretendem viajar para Roma durante o Jubileu. Pedro Kempe aconselha que o fiel - ou alguém que "seja de fora, que tenha outra religião ou que esteja curioso" - siga "os preceitos básicos de respeito, como silêncio e descrição e evitar tirar fotos no momento em que todo mundo está em oração" quando estiver em uma igreja.   


Já Fátima Nascimento dá uma dica sobre as vestimentas que devem ser usadas nas basílicas e outras igrejas da cidade: "Em qualquer viagem religiosa para a Europa, os brasileiros precisam ficar atentos porque não se pode entrar nas basílicas com os ombros e os joelhos de fora. Nós sempre pedimos que [os nossos clientes] usem bermudão que cubra o joelho e blusas que tenham manga ou que levem um xale para poder cobrir os ombros". O Ano Santo Extraordinário da Misericórdia terminará no próximo dia 20 de novembro, com o fechamento da Porta Santa da basílica de São Pedro pelo papa Francisco. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos