Agora candidato oficial, Trump promete 'mudança' nos EUA

CLEVELAND, 20 JUL (ANSA) - Após conquistar a indicação do Partido Republicano à Presidência dos Estados Unidos, o magnata Donald Trump prometeu "não decepcionar" seus eleitores e levar uma grande "mudança" para Washington. "Vamos ganhar a Presidência, levar uma mudança verdadeira e a liderança de volta a Washington. Será uma liderança que põe o povo americano em primeiro. Vamos trazer de volta nossos empregos, vamos reconstruir nossas Forças Armadas que estão enfraquecidas. Teremos fronteiras fortes, nos livraremos do Estado Islâmico, e restauraremos a lei e a ordem", disse em um breve vídeo publicado por sua campanha.   

Pouco antes, ele já havia usado sua conta no Twitter para informar que irá "trabalhar duro e nunca decepcionar vocês", dizendo ser "uma grande honra" ser o escolhido para concorrer à Presidência dos EUA.   

Apesar do discurso e dos 1.725 delegados conquistados para a nomeação - bem acima do "número mágico" de 1.237 para a indicação - a divisão no partido nunca foi tão grande. Segundo o jornalista norte-americano Steve Kornacki, desde 1980 a divisão entre os candidatos nunca havia sido tão grande. Na última Convenção do partido, em 2012, houve 202 delegados votaram contra a nomeação de Mitt Romney.   

Na Convenção Republicana deste ano, esse número chegou a 726, segundo os dados divulgados pelo presidente do Congresso, Paul Ryan. De acordo com os números oficiais, o senador do Texas, Ted Cruz, conquistou 475 delegados, o governador de Ohio, John Kasich, teve 129, o senador da Flórida, Marco Rubio, conquistou 113, o neurocirurgião Ben Carson obteve sete delegados e o senador de Kentucky, Rand Paul, teve outros dois delegados.   

Todos já haviam desistido da disputa.   

Até mesmo por essa divisão, Ryan - que sempre se demonstrou contra a nomeação de Trump durante a campanha - pediu para que os republicanos se unam neste momento. "Vamos fazer isso, vamos unir esse país. Este ano de surpresas pode terminar da melhor maneira", disse durante a Convenção em Cleveland. O encontro da sigla segue até a quinta-feira (21), quando o magnata aceitará formalmente a indicação do Partido para a disputa bem como seu vice-presidente, Mike Pence.   

Na semana que vem, é a vez do Partido Democrata confirmar o nome de Hillary Clinton para a disputa presidencial. O encontro ocorre entre os dias 25 e 28 de julho na Filadélfia. Já o primeiro debate televisivo entre Trump e Hillary deve ocorrer no dia 26 de setembro. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos