Opositor cubano Guillermo Fariñas anuncia nova greve de fome

HAVANA, 22 JUL (ANSA) - O opositor cubano Guillermo Fariñas, que já realizou mais de 20 greves de fome contra o governo dos irmãos Castro, voltou a interromper sua alimentação como forma de protesto, desta vez alegando ter recebido "maus tratos" da Polícia e pedindo diálogo com Havana.   

Fariñas acusa as autoridades cubanas de praticar violência e perseguir os opositores. O ativista disse ter sido temporariamente detido e sofrido maus tratos quando visitou uma delegacia atrás de informações sobre o colega preso José Rolando Cásares.   

O opositor, que tem a saúde debilitada, disse ter apanhado e sofrido ameaças das forças de segurança por cerca de 45 minutos.   

O ativista recebeu, em outubro de 2010, o prêmio Sakharov, concedido pelo Parlamento Europeu a pessoas que se destacaram na defesa pela liberdade de expressão. Neste mesmo ano o jornalista passou 135 dias em greve de fome, pedindo a libertação de presos políticos que estavam doentes.   

(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos