Sanders e Michelle Obama dão 'total apoio' à Hillary

ROMA, 26 JUL (ANSA) - No primeiro dia da Convenção do Partido Democrata, ocorrido nesta segunda-feira (25), a união dos democratas em torno do nome de Hillary Clinton para a Presidência deu o tom.   

Apesar de alguns protestos daqueles que defendiam a nomeação do senador de Vermont, Bernie Sanders, e de algumas vaias no início dos trabalhos, havia um consenso entre a maior parte dos participantes em torno do nome de Hillary.   

O primeiro grande discurso da noite foi da primeira-dama norte-americana, Michelle Obama, muito ovacionada pelo público.   

"Estou aqui porque nesta eleição há apenas uma pessoa em que confio. Apenas uma pessoa que creio estar realmente qualificada para ser presidente dos Estados Unidos, que é nossa amiga Hillary Clinton. Estou aqui porque sei o tipo de presidente que ela será. E por isso, estou com ela", afirmou Michelle. Criticando o candidato republicano à corrida presidencial, Donald Trump, e a convenção da sigla, ocorrida na semana passada, a primeira-dama afirmou que "quando eles descem o nível" nos discurso, "nós o subimos".   

"Não deixem que que ninguém lhes diga que este país não é grande, que temos que torná-lo grande novamente, porque agora mesmo este é o maior país da Terra", afirmou ainda em referência ao slogan da campanha de Trump.   

Através do Twitter, o presidente dos EUA, Barack Obama, escreveu que estava "orgulhoso" sobre o "incrível" discurso de Michelle e que "o país tem sorte de tê-la como primeira-dama". Quem também foi ovacionada no palco foi a senadora Elizabeth Warren, desejada por muitos democratas para ser a vice-presidente da chapa de Hillary por sua postura anti-Wall Street. A senadora também apoiou a candidatura da ex-secretária de Estado, em um gesto de união do partido.   

O último discurso foi de Sanders. O principal rival de Hillary na corrida eleitoral falou por cerca de meia hora e mostrou que superou o processo eleitoral, estando ao lado de Hillary completamente. Ele ainda foi extremamente aplaudido pela plateia, o que chegou a atrasar seu discurso, já que ele não conseguia começar a falar.   

"Qualquer observador objetivo irá concluir que, baseado em suas ideias e sua liderança, Hillary Clinton deve se tornar a próxima presidente. Não há sequer comparação", disse Sanders.   

Assegurando que sua "revolução" no país ainda continuará a existir, o senador ainda deu um recado para seus "decepcionados" eleitores. "Sei que vocês ficaram decepcionados sobre o que ocorreu no processo de nomeação. Eu sou o mais decepcionado.   

Mas, isso é democracia", disse sob ovação.   

Além disso, Sanders também fez críticas ao magnata republicano e ao seu discurso de ódio. "Precisamos de uma liderança que nos una e nos torne mais fortes, não uma liderança que insulte os latinos, os mexicanos, os muçulmanos, as mulheres, os afro-americanos, os veteranos e os doentes, para dividir-nos", concluiu.   

Além dos expoentes dos democratas, o senador Cory Booker, a atriz Eva Longoria e a humorista Sarah Silverman também discursaram e focaram as falas nas críticas a Trump.   

A noite desta terça-feira (26) terá como principal destaque o discurso do ex-presidente norte-americano e marido de Hillary, Bill Clinton. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos