Piloto do voo desaparecido da Malaysia simulou voo sobre o Oceano Índico

Em Roma

  • Andrew Winning/Reuters

As autoridades australianas confirmaram que o capitão do avião da Malaysia Airlines desaparecido no dia 8 de março de 2014 treinou no simulador um voo sobre a mesma região do Oceano Índico onde acredita-se que a aeronave tenha caído.   

Na última sexta-feira (22), a revista "New York" havia publicado que o comandante Zaharie Ahmad Shah percorreu a mesma rota em um simulador caseiro menos de um mês antes do sumiço do Boeing 777.   

Agora a notícia foi confirmada oficialmente pela Austrália.   

O avião da Malaysia Airlines, que ia de Kuala Lumpur, na Malásia, a Pequim, na China, levava 239 pessoas a bordo e até hoje não foi encontrado, com exceção de um pedaço de asa achado na ilha francesa de La Réunion, no Índico.   

Um investigador independente, Blaine Gibson, diz ter descoberto supostas peças da aeronave e objetos pessoais dos passageiros em Madagascar e na ilha australiana de Kangaroo, mas a origem dos destroços não foi comprovada.   

Após mais de dois anos do desastre, as buscas pelo Boeing 777 estão perto de ser suspensas pelos três países envolvidos: Malásia, China e Austrália. A principal suspeita é que o avião tenha sido desviado para o Índico meridional, voando até ficar sem combustível. (ANSA)

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos