Justiça da Itália mantém processo contra filho de Erdogan

BOLONHA, 03 AGO (ANSA) - Apesar das ameaças feitas nesta terça-feira (02) pelo presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, a Procuradoria de Bolonha, na Itália, informou que o processo contra o filho do mandatário turco, Bilal, seguirá normalmente.   

"Como Procuradoria, nós não temos nada a dizer. Atuamos com serenidade e empenho e vamos adiante com nossas atividades", disse o procurador-adjunto, Massimiliano Serpi. Ao ser questionado sobre a postura do governo italiano no caso, Serpi afirmou que as posições "são coerentes" com o que se espera das instituições nacionais.   

A fala do procurador ocorre um dia após Erdogan acusar, em uma entrevista ao canal "RAI News 24", a Justiça e o governo italiano. Seu filho, Bilal Erdogan, é acusado de lavagem de dinheiro enquanto estudava em Bolonha e o presidente disse que essa situação "coloca em dificuldade as nossas relações com a Itália, que deveria se preocupar com a máfia".   

Rapidamente, o primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, defendeu a Justiça de seu país e disse que a magistratura local é "autônoma" e "independente", agindo "de acordo com a lei". - Entenda o caso: Bilal foi a Bolonha no fim do verão passado para completar um doutorado iniciado em 2007. No entanto, em março deste ano, deixou o país alegando "motivos de segurança". Neste mesmo período, um adversário de Erdogan exilado na França, Murat Hakan Huzan, apresentou uma denúncia contra seu filho por lavagem de dinheiro. O caso está sendo analisado pelos procuradores de Bolonha desde então. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos