Irã executa cientista nuclear acusado de espionagem

TEERÃ, 8 AGO (ANSA) - O cientista nuclear iraniano Shahram Amiri foi executado pelo governo de Teerã sob a acusação de espionagem.   

"Shahram Amiri, que facilitava ao inimigo informações sigilosas, foi enforcado", informaram autoridades locais em coletiva de imprensa.   

Segundo Teerã, o especialista, que um dia foi considerado um herói nacional, teria enviado informações secretas aos Estados Unidos. Amiri desapareceu em 2009, durante uma peregrinação a Meca, e reapareceu 13 meses mais tarde, em Washington. Ele disse ter sido sequestrado por agentes da CIA, que o haviam submetido a pressões psicológicas intensas para revelar segredo do programa nuclear iraniano.   

Em Teerã, ele foi recebido com homenagens pelo governo e familiares. O governo dos Estados Unidos, por sua vez, sempre sustentou que ele permaneceu no país por vontade própria. Em 2011, Amiri foi preso e condenado por traição. Desde então permanecia detido em um local não revelado por Teerã.   

Após anos de tensão, Irã assinou no ano passado um acordo sobre seu programa nuclear, que Washington acreditava ter fins bélicos, enquanto Teerã afirmava ser pacífico. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos