Pellegrini decepciona e termina 200m em quarto lugar

RIO DE JANEIRO, 09 AGO (ANSA) - Quase 12 anos depois de sua estreia surpreendente em Jogos Olímpicos, a italiana Federica Pellegrini tentou voltar ao pódio em sua prova favorita, os 200m nado livre, mas acabou parando na juventude de suas adversárias.   


Aos 28 anos, a "Divina" era forte candidata a medalha na disputa, principalmente após ter feito o terceiro melhor tempo das semifinais, porém, até por conta da idade, anotou apenas 1m55s18 na decisão e ficou em quarto lugar.   


O ouro foi conquistado pela norte-americana Katie Ledecky, que tem 19 anos e é considerada a herdeira de Michael Phelps nas piscinas norte-americanas. A estrela fez a marca de 1m53s73 e superou a sueca Sarah Sjostrom, 22, e a australiana Emma McKeon, 22.   


Essa é a terceira medalha de Ledecky no Rio de Janeiro, após o ouro nos 400m nado livre e a prata no revezamento 4x100m. Ela ainda competirá nos 800m, prova que já venceu nas Olimpíadas de 2012, em Londres.   


"Pareço estar em um pequeno pesadelo. Eu tive na água sensações tão estranhas que ter perdido a medalha é, honestamente, a minha última preocupação. Eu estava morta nos últimos 50 metros, não podia dar mais", declarou Pellegrini, ainda no calor da derrota.   


Recordista mundial nos 200m, ela possui duas medalhas olímpicas na disputa - uma de ouro (Pequim 2008) e outra de prata (Atenas 2004), conquistada quando tinha apenas 16 anos.   


Além disso, é bicampeã mundial nos 200m e nos 400m nado livre e possui dezenas de medalhas em campeonatos europeus e italianos.   


Seu currículo vitorioso a levou a ser escolhida para carregar a bandeira da Itália na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos Rio 2016.   


Hoje em dia, mais do que nadadora, ela é uma celebridade em seu país e a esportista mais amada pelos italianos, desconsiderando o futebol. Em 2009, passou por um grande trauma ao perder o treinador Alberto Castagnetti, vítima de complicações repentinas de uma cirurgia no coração.   


O falecimento acabou iniciando um período turbulento na carreira de Pellegrini, culminando no fracasso das Olimpíadas de Londres, quando não conquistou nenhuma medalha. Após uma série de mudanças técnicas, passou a ser treinada por Matteo Giunta, primo de seu atual namorado, Filippo Magnini, que também integra o time italiano de natação nos Jogos.   


Serena, tentou trabalhar a idade nos últimos meses, mas acabou vencida pelo vigor de Ledecky, Sjostrom e McKeon. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.



Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos