Após 16 anos, ativista indiana encerra greve de fome

NOVA DELI, 9 AGO (ANSA) - A ativista indiana pelos direitos humanos Chanu Sharmila terminou nesta terça-feira (9) uma greve de fome iniciada há 16 anos em protesto contra uma lei que dá poderes especiais às forças armadas em certas regiões da Índia.   

De acordo com agência de notícias Pti, Sharmila pôs fim a greve de fome para se dedicar de corpo e alma a política e, principalmente concorrer a "governadora do estado de Manipur".   

A ativista de 44 anos iniciou seu protesto em 5 de novembro de 2000, três dias depois de soldados indianos assassinarem dez civis que estavam na povoação de Malom, no estado de Manipur, como represália por um ataque à bomba contra uma base militar.   

Processada diversas vezes por "tentativa de suicídio" ao permanecer sem alimentar-se durante 5.757 dias, Shamila foi detida e alimentada à força por uma sonda nasal. "Estão me chamando de Mulher de Ferro e quero manter este nome lutando pelas pessoas que acreditam em mim", afirmou ela. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos