Turquia dá ultimato a EUA para extradição de Gulen

ROMA, 11 AGO (ANSA) - O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, deu um ultimato nesta quinta-feira (11) para o governo dos Estados Unidos, que ainda não se decidiu sobre o pedido de extradição do clérigo Fetullah Gulen feito por Ancara. Erdogan acusa Gulen de ter idealizado e coordenado a tentativa de golpe de Estado no dia 15 de julho. O golpe foi colocado em prática por uma ala do Exército turco, mas o governo conseguiu reprimir e contou com a ajuda da população, apesar da baixíssima popularidade de Erdogan. "Ou Gulen ou nós", disse Erdogan, diante de milhares de apoiadores políticos seus, em um evento em Ancara, pressionando Washington a escolher uma posição.   

Uma delegação turca deverá viajar em breve aos EUA para se reunir com as autoridades norte-americanas e discutir o caso, de acordo com o embaixador turco em Roma, AydÕn Adnan Sezgin. "A ligação entre Gulen e os responsáveis pelo golpe é óbvia.   

Temos provas e testemunhos confiáveis, de pessoas que participaram. Por isso, pedimos a extradição de Gulen aos Estados Unidos", disse o diplomata.   

Gulen, de 75 anos, vive exilado na Pennsylvânia desde a década de 1990 e nega qualquer envolvimento na trama para derrubar o governo de Erdogan. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos