Com prisões cheias, Turquia deve soltar 38 mil detentos

ANCARA, 17 AGO (ANSA) - O governo da Turquia anunciou uma reforma penal que irá conceder a liberdade condicional a cerca de 38 mil presos. As penitenciárias de todo o país estão cheias em decorrência das milhares de detenções registradas após um golpe fracassado contra o governo do presidente Recep Tayyip Erdogan em 15 de julho. O decreto permite a liberdade dos detentos que tenham dois anos ou menos de pena e abre caminho para que aqueles que já tenham servido pelo menos metade da sentença possam tentar o regime condicional.   

A medida, no entanto , não se aplica pessoas condenadas por assassinato, violência doméstica, abuso sexual, terrorismo ou que tenham sido presas após dia 1º de julho, ou seja, após a tentativa de golpe.   

As autoridades de Ancara destacaram que não se trata de uma anistia. A reforma foi anunciada em meio ao estado de emergência de três meses decretado por Erdogan, que permite que medidas como essas sejam tomadas sem o apoio do Parlamento.   

Segundo o governo, o golpe fracassado foi organizado por seguidores do movimento liderado pelo imã Fethullah Gulen, em exílio nos Estados Unidos desde 1999. Gulen nega as acusações, mas Ancara solicitou sua extradição recentemente. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos